sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

VENTO DE DESTRUIÇÃO

(Regis Fontes)

De onde vêm os ventos?
Norte, Sul, Leste, Oeste
De onde vem, para onde me levam?
Posso sentir o cheiro da minha destruição

Meu opróbrio se aproxima
O martírio me espera
Meus erros me condenam
Somos escravos de nossos próprios erros e ilusões

Fique ó minha dor, mas um segundo
Esse mundo imundo fez-me assim
Corrupto, inato, feito todo mundo
Um pobre coitado marginalizado e sujo

Meu estado reflete o mundo
O espelho conjetura meu espectro
Meus gritos cessaram, a impaciência dispara
O momento insólito continua retrogrado sem nada dizer

E o vento me leva
Eu e todos os que aqui vivem
Esse vento impetuoso de assolação
Que é culpa minha, tua, e da nossa má criação.

Seja o primeiro a comentar

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

TOPO